segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Baía Babitonga

Sábado de sol, que delícia!
Fomos a Joinville para um passeio de barco.
Conduzir um iate não parece ser muito difícil
mas é melhor deixar para quem entende do assunto.














Ao lado do
comandante Celso, Sandra Rissardi,Rosana , Rita, Vania e eu, curtimos o passeio na Baía Babitonga e passamos o dia em São Francisco do Sul.Durante a viagem, apreciamos a natureza, sentimos o vento nos cabelos e nos divertimos.












A Baía Babitonga é um braço de mar que se estende até a cidade de Joinville, passando por São francisco do Sul.
Suas águas são tranquilas e há um arquipélago de 14 ilhas e muito verde ao redor. O visual é bonito e pertence a uma área de preservação ambiental permanente da Mata Atlântica.

sábado, 25 de outubro de 2008

Feira do Livro na Escola Trilhas

Dia 25de outubro, Mila esteve na Escola Trilhas, numa feira do livro.
Encantou as crianças com a história do Peixinho Amarelo.

sábado, 11 de outubro de 2008

I Encontro de Piraquara e Região de Educadores Freinet


No dia 11 de outubro participei do I Encontro de Piraquara e Região de Educadores
Freinet, na escola "Casa dos Girassóis", em Piraquara.
O encontro, teve vários ateliês sobre a pedagogia do método Freinet, criado por
Celestin Freinet na década de 1920 e adotado em todo o mundo.

O método é baseado na participação em grupo e ensina os alunos a
assumirem as suas responsabilidades e organização do trabalho
por meio dos seguintes critérios: Vida cooperativa, Livre Expressão,
Educação do Trabalho, Tateamento Experimental e Afetividade.

O evento foi realizado pelo Pólo Freinet do Paraná e Associação de Apoio à Criança e
ao Adolescente - ACRICA.
A escola Casa de Girassóis situa-se na Rua Cuiabá, 275, Vila Macedo, em Piraquara, Paraná.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

O Feminino Na Literatura - Semana Pedagógica UFPR

Histórias são como bálsamos medicinais!
Ao lado de Vanisse Simone, mestranda da UFPR, montamos a oficina O Feminino na Literatura, para a semana pedagógica da universidade, no intuito de estimular  o imaginário e a leitura das jovens estudantes de Pedagogia.
Na noite aquecida por contos de Clarissa Pinkola Estés e Marina Colassanti, um céu estrelado e uma lua branca entraram sorrateiros pela janela, pairando acima de nossas cabeças.  

"Às vezes, ao final de um conto, a sala enche-se de amanhecer; outras vezes um fragmento de estrela fica para trás, ou ainda uma faixa de luz rasga o céu tempestuoso.
E não importa o que tenha ficado para trás, é com essa dádiva que devemos trabalhar: é ela que devemos usar para criar alma" Clarissa Pinkola Estès, do livro Mulheres Que Correm Com Os Lobos.
http://www.deplae.ufpr.br/SemanaSetor/Arquivos/oficina.htm 

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Semana Pedagógica 2008









Viagens de estudos enriquecem nosso acervo cultural e proporcionam a alegria do encontro.
Em Morretes, estudamos Geologia, História e Biologia com Professor Fabiano da UFPR.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Formação de CMEIS e CEIS Núcleo Regional de Ensino da Matriz















Em
palestra para pedagogos, professores e diretores de CMEIS, CEIS do núcleo regionail de ensino da matriz, iniciei a programação com uma performance da Bruxa Mila.
Referi-me às professoras, mostrando que a arte da contação de histórias cria imagens no ar materializando o verbo e transformando-se ele próprio nesta matéria fluída que é a palavra.
Quem conta histórias atua muito próximo da essência que vem a ser tudo aquilo que não se aprende, aquilo que é por si só.






No segundo momento, referi-me à formação do professor como leitor
.
O exemplo para nossos alunos desperta o interesse por conhecer novos livros e viajar em suas histórias.

O gosto pela literatura amplia o vocabulário e a leitura do mundo. 


Apresentei livros de histórias confeccionados pelos alunos do 1º ano com ricas ilustrações.                                                                                                                                 

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Passeio Público




O 1º ano está estudando animais.
Por isso fizemos uma excursão ao Passeio Público.
O dia estava lindo!




Rimos, vimos pássaros lindos de todas as cores, fizemos um piquenique divertido compartilhando guloseimas e brincamos no parquinho.
Adoramos este dia diferente.



sexta-feira, 22 de agosto de 2008

22 de agosto - Conversa Com Verso e Prosa


A Gerência de Bibliotecas e Faróis do Saber da Secretaria Municipal da Educação de Curitiba, promove encontros com escritores, professores, músicos, atores, contadores de histórias, personalidades únicas, com histórias diferentes que despertam atenção, comovem ou fazem rir os ouvintes.
Recebi o convite de Daniel Faria, músico, poeta e professor, organizador destes bate papos interessantes, dos quais participara até então, como ouvinte.














Entre minhas ouvintes: Rosana, Cláudia, Ana Cláudia, Mirani, Mariana, Luzi e Angela.
Fiquei contente por dividir este momento com elas.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

20ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO















Visitei
expositores de literatura infanto juvenil e conheci vários editores.

Comprei alguns livros, mas queria ainda outros!
Os contatos com autores, sucederam-se a apresentações dos contadores de histórias como Alessandra Roscoe, de Brasília, com sua Caixinha de Guardar o Tempo. Grávida de Luiza, que chega em novembro, fez uma performance das mais bonitas. Para mim, uma aula.
Aconteceu também o importante encontro da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infanto Juvenil.




Grande emoção na Oca com a exposição dos 50 anos de Bossa Nova.

Filmes de Vinícius de Moraes, Tom Jobim entre outros.








A moda, a música, costumes da época. Uma das melhores exposições a que assisti sobre a Bossa Nova.







terça-feira, 12 de agosto de 2008

Conversando com pedagogas do CIC.

 
Nesta oportunidade, demonstrei como faço minha prática
com a Literatura Infanto Juvenil.

Mila contando histórias para público especial


Mila conta suas histórias para crianças, mas se é um público adulto, não se faz de rogada!
No outro dia, procurando a convenção das Bruxas, acertou neste endereço.
Contou para simpáticas ouvintes a história da sua vida.
"Quase tudo", como diz Danusa Leão.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Semana da Literatura Escola Municipal Sady de Souza

No dia 09.07.08 a hora do conto aconteceu na Biblioteca da Escola Municipal Sady de Souza.
Com sua varinha de condão, Bruxa Mila trouxe uma de suas histórias para as crianças.Trouxe também seu bichinho de estimação: o sapo Bardo.
Na linguagem Celta, Bardo quer dizer contador de histórias.








Histórias não são apenas diversão.
Ao lidarmos com elas estamos trabalhando com a energia arquetípica, que é muito parecida com  eletricidade.
Contar histórias é trazer à baila, trazer à tona.

sábado, 28 de junho de 2008

Hora do Conto na Bisbilhoteca


Mila esteve na hora do conto da Bisbilhoteca, no dia 28.06.08.
Em frente ao espelho, perguntou, tal qual sua ancestral:- Espelho, espelho meu, existe alguém mais bonita do que eu?
Ao que o espelho respondeu:
- Mila, den
tre as bruxas, és a mais bela!
Contente ela declarou:
- Como é virtuoso este espelho!!





sexta-feira, 27 de junho de 2008

Inauguração da Tenda de Sonhos e Encantos do CMEI Atuba

No dia 27/06/2008, as crianças do CMEI Atuba ganharam um espaço especial.
A tenda colorida e aconchegante onde todos querem entrar para ler, sonhar e encantar-se. Os livros são manuseados e lidos com curiosidade. É de lá que saem personagens como Chapeuzinho Vermelho, Emília e a Fada para encantar e contar histórias.
Com um lindo e delicioso bolo, crianças, pais, profissionais e amigos festejaram a inauguração.
A Diretora do Departamento de Tecnologia e Difusão Cultural Marilda Confortin entregou livros em nome da Secretaria Municipal da Educação.
A Secretária de Educação Eleonora Bonato Fruet ressaltou a competência dos profissionais da Educação Infantil.
A Diretora Abigail Schambeek relatou que a tenda idealizada em 2004, era de filó, e foi criada para a semana da criança. A partir de hoje, transformou-se em local de leitura, “Sonhos e Encantos”.

Esta pequena biblioteca conta com um acervo de cerca de 500 livros de literatura infanto juvenil. Durante o mês da literatura, estão sendo desenvolvidas atividades com livros dos autores: Ziraldo, Marilza Conceição, Eva Furnari, Monteiro Lobato, Maurício de Souza, Ruth Rocha, José Paulo Paes, Sylvia Orthof.
A exposição com trabalhos das crianças, mostra atividades e materiais que atraem os pequenos, como impressos em Braille e livros de pano.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Comemoração do mês da Literatura Infantil, no CMEI Atuba

Fui a autora convidada para participar do mês da Literatura Infantil, 
no Cmei Atuba. Uma delícia contar a história do Amarelo para a plateia querida. Esta é a Tenda dos Sonhos e Encantos, no Cmei Atuba.
Idealizada pela diretora Abigail Chambec e montada pela 
competente equipe de professores e educadores.

A história de Amarelo, um filhote de peixe curioso,
faz as crianças mergulharem no fundo do mar.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Quando os professores pensam em poesia.

Costumo reunir as crianças do 1º ano, numa roda de conversa debaixo da árvore ou no pátio da escola, para a contação de histórias. Este lugar, seja qual for, chama-se "Cantinho Mágico das Histórias". E basta nos sentarmos, seja na grama ou na calçada, que aparece o tapete de Sherazade, que nos leva para as terras da magia. As crianças anseiam por estes momentos. Eu também. Neste dia, mal iniciei o conto e o interesse de todos voltou-se para a nuvem escura que pairou sobre nossas cabeças. Sentimos a mudança de temperatura e o vento mais forte e frio. Isabela definiu que a “nuvem incha, incha, engorda, engorda e cai em chuva”. Propus a todos que sentissemos os pequenos pingos e saímos correndo pela grama, de braços abertos. Foi um momento de alegria exuberante. Algumas delas hesitaram: "Mas pode?", pois afinal, é "proibido" sair na chuva para sentir as gotas. Surpreendentemente, de um tufo de mato alto, saíram insetos. E entre gritos e gotas de chuva, libélulas voaram e as crianças tentaram pegá-las. Após alguns instantes, já no pátio coberto, olhávamos as fortes gotas espocando na calçada. Não há dicionário melhor do que este, ao vivo, para explicar a palavra espocar. Logo depois, voltamos satisfeitos para a nossa classe. Num momento de criação afinado, as crianças estimuladas pela chuva e o descobrimento das libélulas, expressaram o pensamento poético do acontecido. Anotei seu relato e o li para todos. Discutimos as frases que melhor definiam a experiência vivida, que formatamos nos versos, que logo viraram canção:
LIBÉLULAS
A libélula parece um helicóptero
Só que bem pequenininho.
Nós corremos pela grama pra tentar pegar:
Acho que ali perto tem um ninho!

Algumas crianças pulam alto
Quase pegam os insetos
Mas não conseguimos alcançar, porque
nós não sabemos voar!

sábado, 10 de maio de 2008

Dia das Mães





Manhã de outono com vento e calor humano. Essa foi a sensação da homenagem às mães, na Escola Caramuru. As crianças cantaram,
abraçaram as mães e as professoras e sorriram para fotos. 
Conversei com alguns pais sobre o desenvolvimento dos filhos. Essa troca é de grande importância para discutirmos o andamento
do trabalho, frente ao desenvolvimento das crianças, os 
resultados
obtidos e ouvir a devolutiva dos pais.


quinta-feira, 1 de maio de 2008

Um pedacinho de chão é suficiente para que as crianças observem como germinam as sementes.


Neste retângulo, fizemos uma horta na escola. Plantamos sementes de alface, cenoura, abóbora e milho.Cada dia uma criança foi responsável por molhar a horta. Quando as alfaces criaram duas folhinhas, passei para copinhos de café,

que foram levados para casa. Conversamos sobre os cuidados que uma planta precisa: água para beber; nem muito sol, nem muito frio, para não queimar. Muitas alfaces morreram, por diversos motivos. Mas acredito que a experiência foi positiva e que as crianças aprenderam como as plantas germinam e do que precisam para crescer. E que nos servem de alimento.
Sementes de feijão foram plantadas em vasos. Fizemos o relatório de acompanhamento do desenvolvimento da planta. Num calendário em folha A4, repartida com os dias do mês, as crianças registraram, por meio de desenhos, o clima do dia; quando a planta foi molhada e como se desenvolvia.